sábado, 31 de dezembro de 2011

a greve pró cabaz

O sindicato convocou uma greve no Casino da Póvoa de Varzim, por não ter sido entregue o cabaz de Natal aos representantes dos funcionários.

Francisco Figueiredo, um nome curtinho, representante do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Hotelaria, Turismo, Restaurantes e Similares do Norte, um nome comprido, teve os seus minutos de fama em declarações à TSF, pouquinhos

A greve tem início às 16:00 de Sábado e dura até às 04:00 de Domingo. Francisco acredita a adesão à greve será apenas dos delegados sindicais.
Chamar a isto "dirigente" e "sindicato" é estar a gozar com os trabalhadores e a ridicularizar as organizações de classe.
Triste!

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Governo “transparente” no negócio com chineses

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, salientou hoje a transparência com que decorreu o processo que levou à compra de parte da  EDP pela China Three Gorges Corporation.
Esta decisão prova que o Governo foi absolutamente transparente. Portugal tem um problema de défi ce e de dívida. A proposta chinesa significava a melhor receita e ajuda no endividamento e, por isso, numa altura em que se pede sacrifícios às pessoas, não faria sentido que aqueles que oferecem melhor preço fossem prejudicados”, afirmou Portas depois da assinatura do contrato de compra de 21,35% do capital da EDP.
Portas quis ainda sublinhar a importância de a primeira das privatizações correr bem ao referir que “era muito importante que a primeira decorresse de acordo com as melhores práticas internacionais. E era bom que os que ganharam e não ganharam saibam reconhecer que o processo foi transparente e todos o fizeram”, referindo-se aos principais concorrentes da Three Gorges: os brasileiros da Cemig e os alemães da E.On.
Também o ministro das Finanças, Vítor Gaspar, se mostrou satisfeito com o negócio, que, disse-o sucintamente, mostra que Portugal tem a “capacidade de atracção de investimento estrangeiro”.

Cada cor...seu paladar!





Lei das Rendas:
Ou se compram todos e não se percebe nada, ou se compra apenas aquele que "dá jeito"...

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Bissau, Terça-Feira

Continuação do excelente trabalho jornalístico de António Aly Silva, em Bissau, publicado no Ditadura do Consenso 
00:58 Pelo menos um político (deputado), e um elemento (civil) do Ministério do Interior, estarão envolvidos na tentativa, abortada, do golpe de Estado.
01:27 Bissau adormece fatigada, menos fria (e falo do tempo). Estou a chegar a casa, depois de umas voltas, hoje muito limitadas pelos acontecimentos que se desenrolaram ontem. Até agora, está tudo calmo, parece até que toda a gente se mudou da capital para o interior. Mas há vultos na noite.
Há vultos como que amontoados, há murmúrios nesta noite. Quase não circulam carros, e não há, ao contrário de outras noites, fogareiros a crepitar, nem gargalhadas cúmplices e menos ainda namoricos nas esquinas escuras. Mas há vultos nesta madrugada que ainda é uma criança.
Andei por ai, às voltas, e ninguém me importunou. Ninguém se importou sequer com a minha presença. Passei despercebido. Senti o silêncio da cidade, um silêncio que ensurdece. E eu ali às voltas. Devagar até para o meu gosto. Serei invisível? Não. Apenas não me tomaram como uma ameaça.
Estou já em casa. Apetece-me chorar, gritar a plenos pulmões, gesticular e dizer: chega!, basta! Parem de sobressaltar este povo, esta gente humilde. Tenham vergonha deste povo e deste País que amanhã os vossos filhos e netos herdarão. Boa noite a todos. Antonio Aly Silva
13:35 Militares cercam sede ONU e principais embaixadas para evitar entrada de implicados na tentativa de golpe de Estado. Ha implicados ainda a monte.
16:22 A residência do deputado do PAIGC, Roberto Cacheu (cujo paradeiro e desconhecido) foi incendiada esta madrugada.
17:03 Jean Ping, presidente da Comissão da União Africana, esperado esta tarde em Bissau. Entretanto, a perseguicão aos suspeitos de envolvimento no falhado golpe de Estado.
18:01 Embaixadas da UE em Bissau condenaram a tentativa de golpe de Estado, dizem confiar no Governo e pediram um inquérito para se apurar as responsabilidades.
19:23 Ouvem-se tiros esporádicos vindos do antigo QG, em Sta. Luzia.
19:31 Estou agora na zona do QG e tudo está calmo. Entretanto, depois dos tiros, os militares que mantêm o perímetro de segurança na zona da residência do PM, cortaram a circulação automóvel.
19:38 Estou no Ministério do Interior e há polícias de intervenção a saírem armados das instalações. Ao mesmo tempo, os militares cortaram a avenida da Presidência da Republica. Uma coisa e certa: ha muita movimentacao de militares e policias do PIR.
19:55 Tiros no ministério do Interior. Há muitos feridos e consta que há pelo menos um morto.
19:59 IAIA DABÓ (Irmão do malogrado Baciro Dabó) está morto. Ditadura do Consenso tem as fotos em exclusivo.
21:59 Iaia Dabo foi morto a sangue frio, dentro do carro do Deputado Conduto de Pina. Soube que tinha sido localizado e queria entregar-se as autoridades. Presenciaram o acto o Pr da Liga Luis Manuel Cabral, e Filomeno Cabral. Djoi entregou-se ao fim da tarde. Desconhece-se o paradeiro de Roberto Cacheu.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Bissau, Segunda-Feira

Segunda-feira, 26 de Dezembro de 2011
10:28 Bissau acordou soalheira, mas estranha. E sobretudo confusa.
10:46 Residência PM guardada por vários elementos do corpo de intervenção rápida (PIR). O paradeiro do PM e desconhecido. Bubo Na Tchuto está no quartel da Marinha de Guerra.
10:59 O Primeiro-Ministro estará no quartel da MISSANG. A situação está calma. Bubo diz desconhecer a situação.
11:05 O antigo Quartel-General está cercado quer por militares quer por polícias, de kalashnikov em riste.
11:11 Na Presidência tudo calmo; no Ministério do Interior, também Militares continuam a ser vistos apenas nas áreas dos quartéis
11:45 DC a seguir caravana de 3 viaturas do EMGFA, entre eles o do CEMGFA. Acabam de dar entrada no quartel da Base Aérea Terão ido buscar o António Indjai para fazer uma declaração ao Pais.
12:08 Paradeiro do PM continua desconhecido. Militares enchem quartel da Base Aérea, onde estará o CEMGFA, António Indjai. Bubo Na Tchuto permanece na Marinha de Guerra.
12:15 Antigo QG terá sido recuperado pelos militares do quartel de Mansoa. Houve tiros de intimidação Um coronel terá sido ferido e encontra-se no hospital Simão Mendes. Entretanto, tudo permanece calmo no quartel da Base Aérea.
12:55 Pela primeira vez, hoje, militares juntam-se à Policia de Intervenção Rápida e cercam a residência do Primeiro-Ministro.
13:16 Augusto Mário (capacete de ferro), Chefe do Estado-maior do Exercito, foi detido num táxi, retiraram-lhe a farda e conduziram-no para o Forte D'Amura. Há varias detenções de militares.
13:28 Bubo Na Tchuto estará sob custódia dos militares.
13:35 Ouviram-se agora dois tiros de pistola Makharov na direcção do Estado-Maior.
13:51 Bubo Na Tchuto está detido, assim como o Chefe do Estado-Maior do Exercito. António Indjai controla a situação Paradeiro do PM continua desconhecido.
14:12 Militares cortam a estrada na avenida onde mora o Primeiro-Ministro.
14:18 Cortejo de 6 viaturas cheias de militares ruma ao antigo EMGFA no QG. Ouvem-se pela primeira vez sirenes de ambulâncias
14:23 Baciro Dja, Ministro da Defesa, ao Ditadura do Consenso: "vamos ter agora uma reunião com os militares no antigo QG.
15:02 Primeiro-Ministro estará sob custódia dos militares. Já a seguir no DC: foram prender o Cancan às 6.30/7.00 h...mas levaram por engano um seu vizinho.
15:25 General Watna Na Lai foi ferido com gravidade, e encontra-se em estado critico.
15:27 PM está a salvo, e guardado pelos militares. CEMGFA António Indjai controla a situação a partir do quartel dos para-comandos, ao lado da Forca Aérea
15:31 Bubo Na Tchuto está detido, e vai neste momento a caminho do quartel de Mansoa. Bissau está calma, não há tiros e a circulação automóvel baixou consideravelmente. Foi-lhe confiscado 170.000 fcfa, mais os seus haveres.
16:05 Pode vir a ser decretado o recolher obrigatório. Um magnifico trabalho de António Aly Silva no
Ditadura do Consenso

O Governo guineense negou que tenha havido uma tentativa de golpe de Estado, mas confirmou um assalto ao paiol do Exército, e anunciou uma comissão de inquérito para analisar os conflitos militares ocorridos hoje no país.

domingo, 25 de dezembro de 2011

Democratização da Economia no sapatinho...

Passos Coelho, aproveitou o espaço televisivo da mensagem de Natal para garantir que “2012 será um ano de grandes mudanças e transformações”, as quais “incidirão com profundidade nas nossas estruturas económicas”, com o objectivo de conseguir o que entende pela “democratização” economia. público 

Lá que ele falou muito bem, falou! Eu é que não percebi nada!
Que raio é isso de “democratização da economia”?

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Comentador Seguro

Seguro, hoje em Lardosa, garantiu hoje que o Partido Socialista vai estar "muito atento" à privatização da EDP, considerando ser "muito importante" que a empresa "mantenha a capacidade estratégica no nosso país".
Analisou a saída da CGTP da reunião da Concertação Social considerando que aquela foi o resultado "da inabilidade e falta de convicção que este Governo tem no relacionamento com os parceiros sociais" e comentou a notícia do Semanário SOL segundo o qual o défice público admitido pelo governo para 2012 é de 5,2 por cento e as condições de financiamento externo poderão ser aligeiradas.
Aproveitou os jornalistas presentes para afirmar que está "muito preocupado com o que têm sido notícias sucessivas em relação ao défice e ao relacionamento com a troika" e reafirmou que "Portugal precisa de mais um ano para fazer a consolidação.
Seguro continua a comentar a posteriori as notícias que são veiculadas pelo jornalismo que temos sem qualquer ideia nova e, muito menos, inovadora…
Desta vez o jornalista de serviço escreveu “à margem de uma visita” como noutras havia escrito “à margem de um Jantar, ou “à margem de etc.”. Isto é, comenta “à margem”!
Convenhamos que até o “comentador” Miranda Relvas faz melhor!

Que falta nos faz ouvir Francisco de Assis que nunca comentava "à margem...".

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

uma mensagem de natal

Antonio J. Seguro diz ter plena consciência dos sacrifícios que os portugueses estão a passar e diz que os “desempregados, os mais desfavorecidos e os mais desprotegidos”, estão na primeira linha das suas preocupações e da sua acção política e diz haver outro caminho para sair da crise, diferente daquele que está a ser levado a cabo pelo Governo e avança as velhas ideias sampaístas de que “são necessárias políticas que olhem para além do défice. Criando riqueza em vez de ficarmos mais pobres. Apostando no crescimento económico, no emprego e mobilizando os portugueses. Apoiando as nossas empresas e estimulando a nossa capacidade empreendedora. Só o emprego e o crescimento da economia garantem o futuro, a sustentabilidade das políticas sociais e a coesão nacional.”  na “mensagem de Natal” divulgada no site do PS

galego, veterano e persistente

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

CP, pára!

Para além dos dias de greve total, sexta-feira, sábado e domingo e ainda o 1º de Janeiro, todos os dias serão de paralisação parcial, a partir de dia 26 de Dezembro até ao final do mês de Janeiro.
O Sindicato dos Maquinistas protesta contra o facto de terem sido abertos processos disciplinares a cerca de 200 maquinistas, quebrando os acordos assinados, com o anterior governo, em Abril e Junho, com vista a garantir a paz social na empresa.

O principal problema das escolas? Os paizinhos

O governo tem mais do que razão para dar esta guinada conservadora na sociedade: os pais dos alunos com problemas disciplinares sistemáticos têm de ser punidos. Porque o principal problema das escolas não está no próprio sistema educativo, mas sim em casa. Digo e repito: se uma criança é ensinada no facilitismo pelos próprios pais, como é que um estranho - o professor - pode pedir exigência à dita criança? É impossível.

Não por acaso, o Sol (p. 38) trazia uma peça elucidativa a este respeito. Numa reportagem sobre um projecto da Associação dos Empresários pela Inclusão Social, ficámos a saber que muitos miúdos da zona de Sesimbra foram recuperados para a actividade escolar. Miúdos da "boa vida" e com registo criminal pensam agora em carreiras tão diferentes como a Marinha e cursos de cozinha. Mas o mais curioso nesta história é a ausência dos pais. Um dos miúdos diz assim: "estive cinco meses fora da escola, mas a minha mãe não sabia". Uma mãe atenciosa, portanto. E este é o tipo de mãe que gosta de intimidar os professores quando, por acaso, resolve ir à escola. Não é preciso passar muito tempo com professores para ouvirmos histórias de bullying destas mães e destes pais sobre os professores. "Como se atreve a chumbar a minha filha, que até sabe quando é 2 x 2, como?", "como se atreve a levantar a voz para o meu filhinho, coitadinho, que é tão bom, um anjo, como?". Em vez de ralharem com os filhos, estes progenitores insultam e agridem os professores, desautorizando por completo a autoridade da escola. O abandono escolar começa aqui.

Ora, como o governo já percebeu, há formas de punir estes pais extremosos que oscilam entre o 8 (não querem saber) e o 80 (quando querem saber é para dar pancada nos professores). Se as pessoas querem ajuda da sociedade, então, têm de se comportar como criaturas responsáveis. Essa responsabilidade, para início de conversa, começa no acompanhamento da vida escolar dos filhos numa lógica de respeito pelos professores. Sem a imposição deste mínimo olímpico, pouca coisa pode ser feita na escola. por Henrique Raposo no Clube das Republicas Mortas

uma frase mortífera…


O Presidente da República prometeu hoje cooperação leal à Assembleia da República em tudo que esteja relacionado com "a defesa do superior interesse nacional", desejando um ano de 2012 "tão próspero quanto possível" aos deputados.

Uma frase mortífera… dentro e fora do contexto.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

TAP deixa passageiros em cuecas...

Mais de duas dezenas de pessoas, passageiras da transportadora portuguesa TAP, estão a manifestar-se neste momento junto aos escritórios da companhia, para exigir sobre o paradeiro das suas bagagens.
"Estou em Bissau há duas semanas, e ainda não tenho as minhas bagagens", queixa-se uma passageira. Outro, chegado de Timor, esta na mesma situação. Não e propriamente uma novidade o eterno 'esquecimento' a que a TAP vota as bagagens dos seus passageiros com destino a Bissau.
Desta vez, ao que parece - pois no voo desta madrugada voltou a acontecer o mesmo - a 'culpa' foi da comitiva do SL Benfica, com varias toneladas de equipamentos e toda a parafernália que normalmente acompanha uma equipa de futebol profissional.
Para já, ninguém desarma. "A TAP goza connosco, uma das mais rentáveis da companhia em África, e com preços incomportáveis para 4 horas de viajem", desabafou um cidadão português, que esta na mesma situação. "Ate cuecas já tive que comprar", diz, entre sorrisos. por António Aly Silva Ditadura do Consenso

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Invasão ao Estado Português da Índia

...
A invasão pela parte da União Indiana ao Estado Português da Índia deu-se entre os dias 19, 20 e 21 de Dezembro de 1961, quando foram atacados os territórios de Goa, Damão e Diu por terra, mar e ar. “Eles entraram com cerca de 80 mil soldados, e nós ao todo éramos à volta de mil e sem armamento capaz para os enfrentar. As tropas apeadas vinham com cerca de 200 ou 300 carros de combate, e eu até costumava dizer que nem precisavam de usar armas, pois eram realmente muitos em relação a nós.

A aviação começou a bombardear fortemente durante dois dias, e embora não tivesse feito grandes estragos em termos humanitários, lá morreu um ou outro, mas os bombardeamentos foram cerrados e valeu estarmos metidos nas trincheiras, onde nos defendemos como pudemos”, relembrou Teixeira Pereira. Durante os três dias da invasão, os soldados portugueses foram presos e distribuídos pelos quatro campos de concentração existentes em Goa, onde permaneceram durante seis meses. A partir daí “foi uma vida muito dura e difícil, em que não havia o que comer, e a higiene era feita de qualquer maneira, na mesma água onde os búfalos iam tomar banho”.

Para qualquer saída para fora dos campos de concentração éramos sempre escoltados pelos militares com armas apontadas, onde trabalhamos na construção de pontes que tínhamos deitado abaixo para que eles não pudessem fazer a travessia”, contou. A fuga era impossível, uma vez que os campos eram todos electrificados e existiam sentinelas por toda a parte.
... Entrevista ao Chefe Principal Teixeira Pereira no Noticias de Vila Real

domingo, 18 de dezembro de 2011

sinais

Inicialmente foi contra os pórticos das portagens e mais recentemente contra outros elementos do sistema.
Ontem foi ontem vandalizada uma caixa de passagem de cabos de fibra óptica da A22 no Algarve.
Desde que foi iniciada a cobrança de portagens nas vias rápidas e auto-estradas, até então SCUT, que têm ocorrido actos de vandalismo contra o sistema de cobrança electrónico.

Patuleia, Maria da Fonte, as duas ou apenas mais um sinal a acrescentar? …

Vaclav Havel









       1936 - 2011

Comentador Seguro

Seguro jantou, desta vez em Viseu, com várias centenas de militantes (sic DN) e afirmou que quer pagar a dívida pública. Contudo aconselhou o primeiro-ministro para se deixar de aventuras e de meter medo aos portugueses e comentou:
"Chega de meter medo às pessoas. Chega de aventuras. Chega de pesadelos e más notícias. É preciso uma estratégia para o crescimento porque só dessa forma conseguimos honrar os nossos compromissos".
desta vez o Cronista de Seguro foi Amadeu Araújo

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

金正日; 김정일



Kim Jong-il morreu este sábado, 17, às 08h30 locais (23h30 de sexta-feira em Lisboa), informou, em lágrimas, um apresentador da televisão estatal de Pyongyang KCTV, segunda-feira, 19 de Dezembro. visão

Talk of 'nuclear default' sums up Left's anger at EU dictates

"We have an atomic bomb that we can use in the face of the Germans and the French: this atomic bomb is simply that we won't pay," said Pedro Nuno Santos, vice-president of the Socialist Party in the parliament.
"Debt is our only weapon and we must use it to impose better conditions, because recession itself is what is stopping us complying with the (EU-IMF Troika) accord. We should make the legs of the German bankers tremble," he said.
The comments came as Portugal slides deeper into recession, with the economy expected to contract by 3pc next year. Protesters marched through Lisbon on Thursday denouncing plans by the new conservative government to raise the working week to 42 hours. Wages are being cut 16pc for higher paid, and 8pc for lower paid public workers.
The parliament passed a fresh austerity budget earlier this month under the terms of its €78bn loan package from the EU and the International Monetary Fund.
Mr Nuno Santos said Europe's southern states should join forces to resist the austerity dictates and contractionary policies being imposed by the core powers. "It is incomprehensible that the peripheral countries don't do what the French president and the German Chancellor do. They should unite," he said. By Ambrose Evans-Pritchard, International business editor, in telegraph (um alerta publico de  JAM na SIC Noticias às 21H)

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

relato de uma RGA…

...
"Senhor deputado do CDS-PP, perdão do PS", começou por dizer Nuno Encarnação dirigindo-se a Basílio Horta.
De imediato se ouviram protestos da bancada socialista, sendo audível da bancada da comunicação social uma das palavras proferidas por Basílio Horta: "ordinário".
"Até porque já não existe CDS", acrescentou a deputada Isabel Moreira, que estava sentada ao lado de Basílio Horta e puxou o microfone para junto de si para dizer esta frase, sobrepondo-se à declaração que Nuno Encarnação fazia.
...
uma excelente reportagem da SIC... serviço público dirão alguns!

 

Horta não fala a Seguro

O antigo presidente da AICEP, Basílio Horta - agora deputado independente mas eleito pelo PS -, que negociou, como se fossem " bananas ", o “memorando” que levou o ex-primeiro ministro a inaugurar a fabrica em Fevereiro, considerou que «a Nissan está a fazer o seu papel» ao invocar razões de negócios para suspender a fábrica em Aveiro e afirmou que «foi determinante o abandono da política de mobilidade eléctrica». 

António José Seguro, no final de um a vista hoje efectuada a fábricas de moldes localizadas na Marinha Grande, admitiu que não conhece o dossiê em concreto, mas entende que há explicações que devem ser dadas: «Desde Junho, data que tomou posse, o que fez o Governo nesse relacionamento com a administração da Nissan? Ou ficou á espera que lhe dessa notícia?».
O Secretário Geral Socialista comentou ainda que, num período de dificuldade como aquele em que o país vive, custa-lhe acreditar que o governo chefiado por Pedro Passos Coelho «possa ter um comportamento tão passivo em relação a esta decisão». adpt da noticia da tsf
se ele fosse primeiro-ministro...

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Comentador Seguro

António José Seguro, disse hoje estar «cada vez mais preocupado com os números relativos ao desemprego em Portugal, sobretudo com o de longa duração e aquele que afecta os jovens».
O secretário-geral do PS aproveitou para insistir na ideia de que «são necessárias políticas de estímulo às empresas» de forma a garantir liquidez, e controlar os custos de energia, assegurando a competitividade dos «sectores que possam puxar pela economia». 

Preocupado? Claro que está, como todos o estamos! Talvez, substituindo os comentários diários e as visitas à “nosso primeiro”, seja uma boa altura para propor uma solução “á Sampaio”...afinal "estes" já lá estão vai para seis meses!

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

a vida académica do Pinto de Sousa no tribunal de Monsanto

A vida académica do ex-primeiro-ministro na Universidade Independente foi ontem objecto de várias perguntas do colectivo de juízes, presidido por Ana Peres, no julgamento que decorre no Tribunal de Monsanto.
Ana Peres perguntou a Bruno Silva, antigo funcionário da administração escolar e secretaria da UnI, se alguma vez recebeu o pedido de equivalência de cadeiras do curso de engenharia civil de Pinto de Sousa. O antigo funcionário disse nunca ter recebido o pedido - no entanto, o mesmo poderá ter sido feito a outro funcionário. Ana Peres perguntou, então, se foram colocadas nas pautas notas de disciplinas frequentadas por José Sócrates: Bruno Silva disse não se lembrar de ter visto o nome do ex-primeiro-ministro. A juíza quis ainda saber da autenticidade de várias pautas manuscritas e o ex-funcionário explicou que havia essa prática (pautas escritas à mão) na UnI. adpt. do CM 
Ver o Dossier Sócrates por António Balbino Caldeira ou

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

a Nissan cancela investimento em Aveiro

O investimento de 156 milhões de euros que a Nissan previa ter pronto em Dezembro de 2012 com a abertura de uma fábrica de baterias em Cacia, Aveiro, já não vai ser concluído. publico 


Uma pequena pergunta para o Dr Basilio Horta: Quanto é que o Estado Português ali "investiu" em isenções ?

Electricidade von Portugal

De acordo com o semanário “Der Spiegel” a alemã E.ON fez uma oferta vinculativa de 8,5 mil milhões de euros para compra da participação do Estado português na EDP, com promessas de investimentos nas energias renováveis.
O Governo alemão está a apoiar a E.ON na privatização da Energias de Portugal, sendo que Angela Merkel manteve recentemente uma conversa com o primeiro-ministro de Portugal, onde terá destacado os benefícios da oferta da empresa alemã. As outras concorrentes são a chinesa Three Gorges e as brasileiras Eletrobras e Cemig.
Simultaneamente com a oferta pela electrica nacional, a E.ON, vai dispensar 11 mil dos seus 80 mil funcionários a nível mundial, confirmou hoje um porta-voz da empresa.
Só na Alemanha, prescindirá de seis mil trabalhadores, cerca de três mil através da pré-reforma, noticia o jornal “Rheinische Post”.

Comentador Seguro (agora também à Segunda-Feira...)

«Como julga que a maioria absoluta resolve os problemas todos do país, o Governo enfraquece o diálogo, que agora se manifesta em termos sociais. Há um isolamento da parte do Governo, o que é grave para o país».
«O Governo decidiu de forma unilateral aumentar o horário de trabalho em Portugal. Consideramos que se trata de uma machadada muito forte na concertação social e significa que, para o Governo, o diálogo social não é importante», afirmou o líder socialista. Lusa/Sol 

Porque para o PS, «o diálogo social é importante» e a concertação social «é extremamente relevante, sobretudo no momento que o país atravessa». «Com todas as letras e de uma forma muito clara, somos contra esta medida», comentou o secretário-geral do PS.

e os “jornalistas” falam com estes senhores...

Mas quem é o Presidente da comissão de utentes da saúde?
Aliás, o que é a comissão dos utentes da saúde?
1. O Rodrigo Moita de Deus ajuda na resposta, aqui e aqui.
2. E os jornalistas falam com este senhor como se ele representasse mesmo os utentes da saúde. por Henrique Raposo  no http://Clube das Republicas Mortas 

Liberdade para João Vasconcelos
Francisco Louçã foi ontem a um jantar reclamar com as portagens na via do infante. Tinha ao seu lado o presidente da comissão de utentes, João Vasconcelos. Aquele que apelou à desobediência civil. Louçã conhece bem João Vasconcelos. Vasconcelos é do Bloco de Esquerda e foi candidato pelo partido à câmara municipal de Portimão. Duas vezes. O jantar de ontem foi em Portimão. Para o Vasconcelos poupar nas portagens. Imagino. publicado por Rodrigo Moita de Deus no  31 da Armada 

liberdade para Francisco Almeida
É tempo de dizer basta. É tempo de acabar com a vergonhosa exploração da mão-de-obra que o PCP sistematicamente promove. É tempo de estarmos solidários com os funcionários do PCP que são vítimas inocentes desta política. É tempo de denunciar para proteger o proletariado do Partido.

Francisco Almeida é disto bom exemplo. 52 anos. Natural de Viseu. Professor por vocação. Militante comunista. Foi obrigado a tornar-se porta-voz da comissão de utentes da A25. E da A24. E da A23. Três autoestradas. Três comissões. O mesmo militante para todas. Passa horas a falar para as televisões. E nem sempre dentro do horário de trabalho. Horas extraordinárias que o partido não recompensa. Como nunca recompensou.

Pobre Francisco. E como se não bastasse ainda é obrigado a acumular toda esta trabalheira com a participação noutra comissão de utentes: dos utentes dos serviços públicos de Viseu. Mais. Francisco, o mesmo Francisco, é da direcção do sindicato dos professores da região centro. E membro do secretariado nacional da FENPROF. E promotor de petições públicas em nome da sociedade civil. Um abuso.

A vida de Francisco Almeida no PCP nunca foi fácil. Impuseram-lhe uma candidatura à CM de Viseu em 2001. Foi mandatário autárquico em 2005, e forçado a pedir a repetição das eleições, no mesmo ano foi cabeça de lista nas legislativas. Em 2009 repetiram a maldade para depois ser mandatário em 2011.
Francisco é professor do ensino básico. Tem a paixão do ensino. Mas o partido não o deixa realizar a sua vocação. Como membro da direção do sindicato foi compulsivamente destacado como delegado sindical. É verdade que os contribuintes (todos nós) continuam a pagar-lhe o ordenado. É verdade que continua a ser útil à sociedade na luta contra as portagens, na defesa dos serviços públicos ou como cabeça de lista do PCP. Mas também é verdade que há anos que não entra numa sala de aula.
É tempo de dizer basta à flexibilidade e polivalência que o Partido Comunista impõe aos seus funcionários. É tempo de dizer basta.
Libertem Francisco Almeida! publicado por Rodrigo Moita de Deus no 31 da Armada

o projecto de tratado europeu


François Hollande, o candidato socialista às presidenciais francesas de 2012, anunciou esta segunda-feira que, caso seja eleito, vai “renegociar” o acordo sobre o projecto de tratado europeu alcançado sexta-feira em Bruxelas, “acrescentando-lhe o que faça falta”. público

Este veio atrasado! O nosso candidato (a primeiro-ministro) há muito que refere: a intervenção do BCE, os eurobonds e o fundo de socorro financeiro.
Apesar do atraso é bom saber que já são dois, no PSE, a querer um outro texto no Tratado Merkozy.
Parabéns António José!

domingo, 11 de dezembro de 2011

Iliteracia aplicada à segurança social

Em geral, os reformados portugueses têm um sério problema, que revela uma espécie de iliteracia aplicada à segurança social. Os nossos reformados acham que o dinheiro que descontaram está lá num PPR ou assim, só para eles. Não, não está. A SS devia estar baseada num sistema de PPR, sim senhora, mas a realidade é bem diferente. Lamento. O vosso dinheiro caiu num pote geral, e deixou de ser o vosso dinheiro. O vosso dinheiro serviu para pagar as reformas de quem já estava reformado. O vosso dinheiro não está lá numa conta com o vosso nome. O que está lá é outra coisa: uma promessa, e só uma promessa. Devia estar um PPR, isto é, uma conta individual com todo o dinheiro descontado por x. Devia estar, mas não está. por Henrique Raposo no  Clube das Republicas Mortas

quanto vale um ministro?

O ministro da Defesa e a sua comitiva estão retidos em Nouakchott, capital da Mauritânia, onde terminou hoje uma reunião da iniciativa 5 + 5.
Os problemas com os aviões de transportes Falcon 50 que já tem mais de duas décadas (dois foram adquiridos em 1989, um em 1991), são recorrentes, sendo conhecidos, os casos de avarias em viagens de Cavaco Silva, e de Pinto de Sousa. noticias.pt 

Claro que um destes dias vai cair um. Até lá não se substituem porque uma certa “esquerda” faria chocantes discursos ao despesismo do Estado...
Depois, virá o “trancas à porta”, e já será politicamente correcto substitui-los...

sábado, 10 de dezembro de 2011

hoje houve Manif



Reformados e pensionistas concentraram-se na Praça do Comércio, seguindo depois em desfile até à Praça da Figueira para participar na manifestação nacional promovida pela CGTP e pela Confederação Nacional dos Reformados (MURPI).

para nao esquecer

Faz em janeiro um ano que, num colóquio com Nicolas Sarkozy, em Paris, Pinto de Sousa, então primeiro-ministro, disse:
Faz um mês que coloquiou: "Para pequenos países como Portugal e Espanha, pagar a dívida é uma ideia de criança. As dívidas dos Estados são por definição eternas. As dívidas gerem-se. Foi assim que eu estudei". 
Faz uma semana que corrigiu (?):




quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Comentador Seguro

"Não conheço nem o contexto nem as declarações proferidas pelo ex-primeiro-ministro e, como tal, não vou fazer qualquer comentário. Não me peçam para fazer um comentário sobre declarações que desconheço", alegou António José Seguro no final de uma visita à fábrica da Gelpeixe, para não comentar isto. ionline

aposto que este foi aluno da independente!



a “conferência” completa pode ser vista AQUI

Feriados no “Estado Novo”?




Tirou-me o “Dia de Reis” e o “dos Fieis Defuntos” apenas para eu ter mais dois dias de escola…
e, pior, nunca me avisou que o 28 de Maio era feriado, obrigando-me a mais um dia de aulas ou de trabalho.
Bandido!

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Comentador Seguro

«Na reunião com o primeiro-ministro, hoje, tenho alguma curiosidade em saber o que está em cima da mesa em termos de propostas concretas, mas, até ao momento, com as informações que são veiculadas pelos jornais, com as declarações do presidente [Nicolas] Sarkozy e da chanceler [Ângela] Merkel, não há boas notícias para a Europa», declarou o líder socialista.

«Sinceramente, eu não estou a gostar mesmo nada, mas absolutamente nada, do modo como está a decorrer a preparação deste próximo Conselho Europeu. Não vejo iniciativa de instituições europeias e, pelo contrário, vejo dois países [Alemanha e França], uma vez mais, a quererem impor uma vontade aos restantes Estados-membros», sustentou.
«Considero que a Alemanha e França estão no caminho errado e a prestar uma mau serviço à União Europeia, mas gostaria que o primeiro-ministro de Portugal tivesse iniciativa e se juntasse com outros chefes de Governo no sentido de apresentarem uma proposta comum», acrescentou. tsf

…nem Rebelo de Sousa o diria melhor… e é (bem) pago para isso!
Mas não preciso de comentários e ainda menos que dê conselhos, queria que dissesse o que faria “se fosse primeiro-ministro”.
Queria saber o que é que propôs na recente reunião dos Socialistas Europeus, em que esteve presente, porque aquilo que este primeiro-ministro (não) propõe já se conhece!
Já agora, apesar do aspecto, deixe de tratar a Merkel pelo masculino "chanceler". Berlusconi fazia-o... mas era intencional.

domingo, 4 de dezembro de 2011

foi em Camarate. Passaram 31 anos!

uma lição para os mais esquecidos...

"Não podemos esquecer que a reconstrução da Alemanha após a guerra não teria sido possível sem o apoio dos parceiros ocidentais, e por isso temos o dever histórico de mostrar solidariedade com outros países, o que se aplica especialmente à Grécia", afirma o antigo chanceler alemão Helmut Schmidt, agora com 92 anos.
Schmidt,  apelou a mais solidariedade de Berlim para os parceiros europeus, advertiu ainda contra eventuais demonstrações de força da Alemanha perante os parceiros europeus, afirmando que “o nacionalismo alemão causa sempre incómodo e preocupação nos vizinhos" e acusou hoje o actual ministro dos Negócios Estrangeiros, Guido Westerwelle, de "visitar mais vezes o Médio Oriente do que Lisboa ou Atenas". noticias

mais um encontro do “casalinho”...para rasgar o tratado!

Nicolas Sarkozy e a Angela Merkel, vão preparar segunda-feira, em Paris, propostas comuns com vista a uma "refundação" da União Europeia, para apresentar aos restantes líderes europeus no final da semana.
Em causa estarão propostas que deverão implicar alterações aos tratados europeus ou mesmo um novo tratado, como sugeriu Sarkozy na passada quinta-feira, quando indicou que o par defende "um novo tratado europeu que refunde e repensa a organização da Europa". noticias 

espero que não se esqueçam que
"Uma nação perdoa sempre os prejuízos materiais que lhe são impostos, mas não perdoa uma afronta à sua honra, sobretudo quando se age à maneira de um predador, que pretende ter razão a qualquer preço.” Max Weber

espancada em Luanda

Uma representante de Human Rights Watch foi espancada por forças de segurança, quando acompanhava, este sábado, uma manifestação de jovens na Praça da Independência, na capital angolana. Lisa Remli, directora para África daquela organização - que se encontra em Angola a efectuar um estudo - não ficou ferida com gravidade, mas oito jovens que participavam na manifestação ficaram - um dos quais com gravidade - na sequência da intervenção feita por indivíduos à paisana. 

Paralelamente, quatro jornalistas, entre os quais o conhecido activista e investigador Rafael Marques foram levados para a Unidade Operativa de Luanda da Polícia Nacional. As ordens de detenção foram inicialmente dadas contra Isabel João, jornalista do "Novo Jornal",presente nas imediações da Praça da Independência, entretanto encerrada com gradeamentos e para onde manifestantes se dirigiam.
Em solidariedade para com a sua colega, seguiram para a unidade policial Coque Mukuta ("Rádio Despertar") e António Paulo ("Novo Jornal"). Os jornalistas foram, posteriormente, libertados.

A polícia e auxiliares à civil, "kaenches", designação local de homens de boa compleição física, tudo fizeram para impedir a aproximação de dezenas de manifestantes, idos do município do Kazenga, o mais populoso de Luanda.
Desde as primeiras horas que os jovens se tinham concentrado num conhecido local, denominado "o Tanque" naquele município, onde cantavam e gritavam palavras de ordem contra o lengevo mandato do actual Presidente da República. no 
macua e no voanews
isto não é , nem foi, noticia para os nossos pmmj's

o islamismo está a ganhar poder na política egípcia

Os resultados divulgados pela comissão eleitoral egípcia mostram que o Partido da Liberdade e Justiça -- afiliado da Irmandade Muçulmana -- lidera com 36,6 por cento dos votos, seguido do ultraconservador Partido Nour, com 24,3 por cento. Os liberais do Bloco Egípcio terão arrecadado até agora 13,3 por cento dos votos. dn

Jeannette Bougrab, de origem árabe, Secretária de Estado da Juventude de França, defendeu não existir um «islamismo moderado» e por isso «muito inquietante» as vitórias eleitorais de partidos islâmicos em Marrocos, Tunísia e Egipto.
«Não conheço islamismo moderado. Não existe uma “chariá light”. Eu sou jurista e acho que podemos fazer todas as interpretações teológicas, literais ou fundamentais que quisermos, mas o direito assente na “chariá” é necessariamente uma restrição das liberdades, nomeadamente da liberdade da consciência», salientou. inforpress

Passaram muitos anos e decerto muita coisa mudou, contudo a relação dos portugueses com as comunidades islâmicas foi notável. Algo que começado no continente, antes e após a reconquista, deixámos como “herança” aos novos países (Moçambique, Guiné e Timor). Alguma coisa tínhamos que ter feito bem!