quinta-feira, 29 de abril de 2010

os insondáveis caminhos da publicidade...


‘Alemães não confiam nos gregos por mentirem’


«Não se trata de um debate sobre o que fazer hoje para sair da crise mas trata-se bastante de um debate sobre ‘os gregos que mentiram para entrar no euro’, ‘que mentiram depois de entrar’, ‘não se pode confiar neles’, ‘vão mentir-nos de novo’, ‘não vão fazer os esforços que é preciso’, ‘desbarataram os fundos estruturais que lhes demos e agora pedem de novo ao contribuinte alemão que pague de novo por eles’», declarou Jean Pisani-Ferry, director do Instituto Bruegel de pesquisa económica, de Bruxelas, sobre a posição da Alemanha diante da crise orçamental grega. Sol


a Grécia foi invadida e ocupada pelos Nazis de 1941 a 1944... suponho que os alemães já o esqueceram, mas duvido que os gregos o tenham esquecido.
Um interessante artigo em
Grécia e Europa - ecos do passado, tempestades futuras! que talvez faça entender as relações germano-gregas.

quarta-feira, 28 de abril de 2010

L'Europe et le FMI manœuvrent pour éviter la contagion de la crise grecque


Car après le Portugal, l'Espagne a été fragilisée à son tour, mercredi, par la dégradation de la note de sa dette par l'agence financière Standard & Poor's. Si avec une note de "AA" l'Espagne reste un pays financièrement sûr, le risque de contagion de la crise grecque à l'ensemble de la zone euro, notamment aux pays très endettés comme le Portugal et l'Espagne, obsède les marchés.
Face à la menace d'un défaut de paiement grec qui ébranle la zone euro et les marchés, les responsables européens et du FMI ont cherché, mercredi 28 avril, à accélérer le déblocage de l'aide nécessaire à la Grèce, en mettant notamment l'Allemagne sous pression. Il y a une "absolue nécessité pour l'Allemagne de décider rapidement", a estimé le président de la Banque centrale européenne (BCE), ajoutant que les négociations devraient aboutir dans les prochains jours. "Parce que la Grèce fait partie de la zone euro, à cause du système de solidarité au sein de la zone euro, c'est la confiance dans la zone euro qui est en jeu".
Le Monde

Standard & Poor's baja un escalón la calificación de España


Después de que ayer lo hiciera con Grecia y con Portugal, la agencia de calificación de riesgos Standard & Poor’s ha decidido rebajar el rating de la deuda soberana española
Pese a todo, España se mantiene en el tercer mayor nivel de calidad posible al quedarse en AA con perspectiva negativa. S&P ya rebajó la solvencia española el 19 de enero, cuando
la degradó de AA+ desde la máxima calificación (AAA). A pesar del pescozón, el jefe de analistas para España de S&P, Marko Mrsnik, es mucho más optimista de lo que expresan los datos: "España sigue manteniendo una nota excelente", ha señalado para recalcar que "la capacidad del país como emisor es muy fuerte, esto no ha cambiado, puede afrontar sus compromisos financieros”.
La agencia de calificación justifica su decisión en el empeoramiento de las perspectivas de crecimiento económico en España. Según S&P, el PIB español crecerá de media un 0,7% anual hasta 2016. Antes, la agencia preveía un crecimiento de un 1% para ese periodo.
Público.es

Resolver a crise: O Bloco Central e os Outros.


O líder do Governo anunciou a antecipação já para 2010 das alterações nas prestações sociais, subsídio de desemprego e rendimento social de inserção, que estavam previstos no Programa de Estabilidade e Crescimento apenas para o próximo ano e mostrou também abertura para discutir as propostas apresentadas pelos sociais-democratas a semana passada no Parlamento de cortes nas despesas do Estado em 1700 milhões de euros.
Como contrapartida Passos Coelho mostrou-se completamente aberto a “cooperar com o Governo” na antecipação destas medidas para “tranquilizar os mercados internacionais” e “inverter a desconfiança sobre a dívida soberana portuguesa”.
dn
Em sequencia a ministra do Trabalho propôs aos parceiros sociais uma redução substancial do valor do subsídio de desemprego, sugerindo que, em nenhum caso, o subsídio mensal possa ser superior a 75% do valor líquido da remuneração de referência que será o ultimo vencimento liquido. publico
Os desempregados terão de aceitar num primeiro ano qualquer emprego que lhes dê mais de dez por cento do subsídio recebido e a partir desse ano, terão de aceitar os empregos com salários iguais do subsídio de desemprego.
O Governo garantiu que, até ao final do ano, os técnicos dos centros de emprego estarão presentes em metade das entrevistas de emprego.
Também os centros de emprego irão acelerar o processo de anulação da atribuição do subsídio de desemprego em caso de recusa a empregos ou em caso de falta de comparência a entrevista.
publico

O CDS-PP anunciou a marcação de um debate de urgência para quinta feira sobre a situação da dívida portuguesa, e disse "manter disponibilidade" para o diálogo, excluindo qualquer aumento de impostos.
Questionado pelos jornalistas, Paulo Portas disse "ver com naturalidade" o encontro entre o líder do PSD e o primeiro ministro, José Sócrates: "Vejo com naturalidade porque o PS apresentou o PEC e o PSD viabilizou-o. O CDS votou contra a resolução sobre o PEC.
dn

O secretário geral do PCP alertou que Portugal vive sob "uma intensa e perigosa operação de carácter especulativo dirigida pelos centros de decisão do grande capital", apontando "as dessensibilizadas agências de notação internacionais" como um dos principais instrumentos.

O coordenador da comissão política do BE rejeitou hoje cortes nas prestações sociais e propôs que a banca pague um mínimo de 25 por cento de IRC, uma medida "que recuperaria 600 milhões de euros".
Francisco Louçã considerou que qualquer redução do subsídio de desemprego ou de prestações sociais será "uma medida insensata, insensível e de uma ferocidade social inaceitável".
dn

terça-feira, 27 de abril de 2010

Evite ser mais uma vítima

... quando for fazer uso de serviços bancários pela Internet, siga as três dicas abaixo para verificar a autenticidade do site em que está a entrar.

1. Minimize a página. Se o teclado virtual for minimizado também, está correcto. Se ele permanecer no ecrã sem ser minimizado, é pirata. Não tecle mais nada.
2. Sempre que entrar no site do banco e ao digitar a sua senha, digite-a com erro ao fazê-lo pela primeira vez. Se aparecer uma mensagem de erro, significa que o site é realmente do banco, porque o sistema tem como verificar a senha digitada. Porém, se digitar a senha errada e não acusar erro, é mau sinal: os sites piratas não têm forma de conferir a informação, porque o objectivo é apenas capturar a senha.
3. Sempre que entrar no site do banco, verifique se aparece no rodapé da página o ícone de um cadeado, como deve aparecer. Além disso, clique duas vezes sobre esse ícone e confirme que surge uma pequena janela com informações sobre a autenticidade do site. Em alguns sites piratas o cadeado pode até aparecer, mas será apenas uma imagem e, ao clicar duas vezes sobre ele, nada acontecerá.


Aqui fica este guia preventivo. Os três pequenos procedimentos acima são simples, mas poderão garantir que V. não venha a ser mais uma vítima de fraude virtual (vulgo 'pirataria na Internet'). Como se sabe, todo o cuidado é pouco.
in Delito de Opinião

mais uma varada...


Parkalgar foi apresentada por Armando Vara como uma empresa inviável, já que o projecto do Autódromo é «irracional do ponto de vista económico» e «um sorvedouro de dinheiro».
Por tal entende o bancário, ex-administrador do BCP, a CGD devia financiar a empresa e o Estado devia ponderar a sua nacionalização, que considera ser «a solução».

Segundo o semanãrio
Sol, o Ministério Público e a Polícia Judiciária de Aveiro interceptaram conversas de Armando Vara com Laurentino Dias, onde Vara tenta convencer o Secretário de Estado do Desporto a pressionar o vice-presidente da CGD, Francisco Bandeira, a financiar com urgência a Parkalgar, proprietária do Autódromo do Algarve.

portuguesing

video

sábado, 24 de abril de 2010

as "nomeações" no IEFP

O líder parlamentar do CDS, Pedro Mota Soares, acusa o Governo de não querer fazer concursos públicos como prevê a lei.
«O Instituto de Emprego está a fazer uma verdadeira fraude à lei. Para fugir a uma regra obrigatória de concursos públicos nos cargos intermédios das chefias da administração pública, uma regra que permite claramente que a administração pública seja despartidarizada, está a nomear as pessoas em regime de substituição para não ter que fazer concursos», afirma.
Pedro Mota Soares diz também que as nomeações para o IEFP, feitas nos últimos meses, são tendenciosas.
«Só no dia 20 de Abril foram 131 pessoas e percebemos que nestes casos todas as pessoas que têm alguma ligação à política activa estão ligadas ao PS. Isto é muito grave e o Governo deve dar uma explicação no local próprio que é o Parlamento», defende ainda Pedro Mota Soares.
TSF

Lisbon...


quinta-feira, 22 de abril de 2010

Face Oculta em risco

A destruição das escutas telefónicas que tinham como interlocutores Vara e Sócrates podem determinar a nulidade do caso ‘Face Oculta’.
O alerta foi dado pelo próprio Ministério Público e corroborado por Ricardo Sá Fernandes, que defende Paulo Penedos. O causídico poderá avançar agora com um recurso para a Relação do Porto, alegando que os seus direitos de defesa foram violados. Em último caso, o Constitucional poderá dar-lhe razão, tanto mais que existe uma decisão jurídica nesse sentido.
A questão foi inicialmente colocada por Ricardo Sá Fernandes, no primeiro interrogatório. Nessa altura, e num momento em que já era conhecida a existência de escutas telefónicas envolvendo José Sócrates e Armando Vara, o advogado de Paulo Penedos alegou que as mesmas não podiam ser destruídas sem que fossem facultadas à Defesa. A obrigação decorre do Código de Processo Penal, e Ricardo Sá Fernandes invocou que tinha de as conhecer para depois decidir se as mesmas eram ou não irrelevantes.
O Ministério Público de Aveiro defendeu o mesmo entendimento.
A ordem de destruição executada por Aveiro na manhã de sexta-feira foi cumprida antes de Sá Fernandes receber a resposta de Noronha Nascimento. O presidente do Supremo disse que o advogado não tinha razão por três motivos: a sua decisão já tinha transitado em julgado, as conversas eram irrelevantes e a ordem de destruição foi dada antes de Penedos ser arguido.
CM

SOS Racismo que valentes!


I. Uma excelsa organização chamada "SOS Racismo" quer estragar a festa aos católicos portugueses: "Propomos que nesses dias em que o Papa vai estar em Portugal, conseguir o maior número possível de pessoas nos locais onde o Papa vai realizar as missas e distribuir preservativos e/ou folhetos informativos relativos à prevenção da SIDA pelo maior número de pessoas presentes nesses locais" ; (mil perdões pelo português, mas não me apetecia editar isto).
II. Eu, que sou um emérito palhaço, alinho nisto. Acho um piadão dar preservativos a beatas secas e ressentidas. Mas, depois, eu gostava de convidar os valentes meninos do 'SOS Racismo' para irmos ali à Mesquita de Lisboa, para fazermos uma nova distribuição de preservativos. Que tal, ah? Aqueles angélicos senhores de barba não são as ameaçadoras beatas católicas, logo, a coisa até pode ser mais fácil.
E, depois, eu também gostava de fazer uma visita às comunidades muçulmanas (guineenses?) onde a prática da excisão genital feminina é uma realidade . O 'SOS Racismo' pode vir comigo? O 'SOS Racismo' está a autorizado a criticar populações negras? O 'SOS Racismo' está autorizado a criticar o Islão? O 'SOS Racismo' só critica brancos e católicos?
III.
A Igreja Católica é uma das instituições que mais luta contra a SIDA em África. Uma - hipotética - declaração infeliz do Papa não anula esse facto. Há freiras e missionários católicos em África, no meio da lama e do pó, a lutar contra a pobreza e contra a SIDA. Quantos meninos do 'SOS Racismo' estão em África a lutar contra a pobreza e contra SIDA?

vou deixar de comer frango!


Evo Morales diz que os homens não devem comer frangos criados de forma massiva em grandes centros de produção, uma vez que esses animais são “carregados de hormonas femininas”.
Logo, "quando os homens comem as galinhas, têm desvios na forma como agem enquanto homens".
... e assim se explica, segundo Morales, a existência de "tantos homossexuais na Europa e no Mundo".

eu não acredito em bruxas mas, pelo sim, pelo não, frango nunca mais...

obrigatorio ler: A factura não reciclável


Na vizinha Espanha, começa a apresentar-se a factura das energias renováveis: aqui, aqui e aqui, por exemplo. Em Portugal, o discurso é outro e profunda-se o estado de negação.
Os valores em Espanha são de tal dimensão que já se
fala em alterar a lei com efeitos rectroativos.
Receio bem que a bandeira deste Governo seja em breve ostentada a meia haste. Mas o pior é que já não será só pelo Governo. Filipe Anacoreta in o
O Cachimbo de Magritte: A factura não reciclável

a revolta dos ricos


Marcelo Rebelo de Sousa sustentou que «o Estado tem instrumentos» para ultrapassar a existência de empresas com capitais públicos que não acatam decisões administrativas, designadamente em relação a vencimentos e bónus, através da aprovação, na Assembleia da República, de uma lei nesse sentido.
«Tratando-se de empresas com participação de capital público, se o Estado accionista chega a uma assembleia-geral apresenta uma proposta de limitação de vencimentos, prémios ou bónus, e é chumbada, de duas uma: ou aquilo era só para português ver ou aquilo era mesmo importante», declarou.
«Se é importante o Estado e o Governo não podem ficar desautorizados e a única maneira que têm de não ficarem desautorizados é avançarem com uma lei sobre a matéria. A menos que seja para português, aí é só para fazer de conta. Dar a aparência e não resolver o problema»,
O comportamento daqueles gestores, criticou o professor, está a «enfraquecer a democracia, retira-lhe legitimidade, aos olhos do povo», sobretudo numa altura em que se «exigem sacrifícios àqueles que menos podem e não se exigem, apesar de tudo mais mitigados, àqueles que mais podem. É uma questão de bom senso».
TSF

MRS poderia comentar, se não o tivessem calado, que o que se está a passar é apenas o reflexo de um governo a prazo, sem prestigio e completamente dominado por ocultas forças económicas.
A Revolta dos Ricos é, sem dúvida, uma originalidade portuguesa e será no futuro um "case study" na Ciência Politica.
e os tugas? de que é que estão á espera?

quarta-feira, 21 de abril de 2010

IEFP: 400 viaturas novas


Pedro Mota Soares, lider parlamentar do CDS-PP, no final da interpelação ao Governo, solicitou uma resposta a Helena André, que está ministra do Trabalho, sobre estas compras de viaturas por parte do IEFP.
As viaturas terão este ano já um custo na ordem dos 600 mil euros e esta aquisição contraria o próprio Programa de Estabilidade e Crescimento (o PEC do Governo) onde, na página 28, consta uma regra de abate de «pelo menos três viaturas por cada nova adquirida».

Helena André justificou a aquisição «Para que os técnicos do emprego possam ir para os terrenos e justamente apoiar as empresas e as pessoas que necessitam do apoio, precisam de renovar as suas frotas de carros. Há dez anos que a frota de carros não é renovada»

sempre, sempre a inquestionável honestidade socialista...

Rua Nova do Loureiro - Sta. Catarina - Paris


Um parecer aponta dois argumentos na defesa da tese de que a deputada Medeiros tem direito ao pagamento da viagem a casa todas as semanas: o princípio da igualdade entre todos os deputados e o princípio constitucional de que os parlamentares devem dispor dos meios para cumprir as suas funções.
Mas o parecer Juridico omite que a deputada, enquanto candidata, indicou como residencia a Rua Nova do Loureiro, na parisiense freguesia de Santa Catarina.
Contudo, não vá o diabo tece-las, o brilhante parecer sublinha que sendo a situação de Inês Medeiros ("eleita por um círculo nacional, mas residente no estrangeiro") omissa no regimento da Assembleia, o parecer vale apenas para este caso. Os senhores deputados que resolvam ir viver com a familia para os antipodas terão que pedir um novo, pessoal e exclusivo parecer juridico...
O parecer foi enviado a Jaime Gama, que o reenviou ao Conselho de Administração, acompanhado de um ofício sobre os ‘princípios orientadores’ para esta decisão.

actualização:
o deputado Lello desempata…
Com 97 votos a favor, todos do PS, e 97 votos contra, dos deputados do PSD e do Bloco de Esquerda, a votação do despacho de Jaime Gama, que autoriza o pagamento das viagens a Paris da deputada socialista Inês de Medeiros empatou.
Mas a medida acabaria por ser aprovada com o voto de qualidade do socialista José Lello, presidente do Conselho de Administração da Assembleia da República.
publico
O CDS-PP absteve-se e o PCP / PEV faltou à votação. tsf
não conferi mas IM informa que:
Uma das falsidades que, segundo a deputada, foram publicadas é que, no seu dossiê de candidatura, teria indicado Lisboa como residência oficial.
"Isso é pura e simplesmente falso, o dossiê de candidatura é claro, a residência que lá está é França, não há qualquer possibilidade de traficar dossiês de candidatura", garantiu.
i online

terça-feira, 20 de abril de 2010

MP pediu a anulação judicial do negócio dos contentores de Alcântara


“O Ministério Público interpôs uma acção junto do Tribunal Administrativo e Fiscal de Lisboa onde requer a anulação e a nulidade do aditamento ao contrato de concessão celebrado em Outubro de 2008”, refere uma declaração oficial da APL enviada à agência Lusa.
De acordo com esta entidade pública, a iniciativa “questiona a base XII do decreto-lei n.º 188/2008, que diz respeito ao prazo do contrato de concessão”, celebrado entre a APL e a Liscont, pertencente ao grupo Mota-Engil, de que é presidente executivo o ex-ministro Jorge Coellho.
“A APL foi citada na passada quinta-feira e encontra-se a analisar a petição inicial e a preparar a sua contestação”, refere a declaração. A prorrogação do contrato de concessão do terminal de contentores até 2042 (antes era até 2015) foi atribuída à Liscont por ajuste directo, sem concurso público, o que suscitou fortes críticas da oposição e motivou o surgimento de um grupo de cidadãos responsável por várias iniciativas contra a prorrogação do contrato e o alargamento da área do terminal.
A intervenção do Ministério Público neste caso foi suscitada pelo Tribunal de Contas que, em Julho do ano passado, concluiu uma auditoria ao aditamento contratual em causa onde se afirma que a APL “não acautelou devidamente os seus interesses financeiros”.
Os juízes entenderam por unanimidade que as alterações introduzidas tornaram o contrato “acentuadamente desequilibrado” a favor da Liscont.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

6 mil milhões por gastar no QREN

Entre 2007 e 2009 o Executivo só adjudicou 23,5 por cento do total disponível em fundos comunitários em projectos de desenvolvimento para o País.
Portugal desperdiçou mais de seis mil milhões de euros em fundos comunitários do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN). Isto significa que em três anos o Governo só executou 23,5% de um total de 8,3 mil milhões de euros em verbas disponíveis para projectos de de-senvolvimento do País.
ler tudo no CM

As vozes dos burros


A visita do Papa a Portugal já está a dar resultados. Um deles é ter feito saltar do armário umas tantas almas que revelaram publicamente uma qualidade que ninguém lhes conhecia ou reconhecia. Um enorme amor ao trabalho.
É verdade. Os seres mostram-se indignados com as tolerâncias de ponto decretadas, e muito bem, pelo Governo do senhor engenheiro relativo. Estes seres, que gozam como perdidos os feriados religiosos e as tolerâncias de ponto na Páscoa e no Natal, dizem que as horas perdidas pelos funcionários públicos custam uns tantos milhões. Como se o Estado contribuísse com algo de relevante para a riqueza nacional. Neste caso, nem é preciso pedir a Deus que os perdoe porque não sabem o que dizem. É que as vozes de burros ainda não chegam ao Céu. António Ribeiro Ferreira, Jornalista, in
Opinião no Correio da Manhã

RSI: Portas volta á carga

O líder do CDS-PP defende uma revisão do RSI, salientando que esta prestação é uma «ajuda transitória para necessidades objectivas», e propôs, por exemplo, o fim da renovação automática e a cessação para condenados a penas superiores a três anos.
«Não é boa ideia, numa prestação social, que esta ajuda transitória que o Estado dá, se dá uma vez e depois se renova automaticamente (…) isto é uma ajuda para que as pessoas possam alterar as suas circunstâncias de vida, não pode passar a ser o financiamento de um certo modo de vida».
Como medida «excecional» Paulo Portas propôs que, até 2013, também apenas o director distrital possa «permitir novas entradas».
«Queremos uma auditoria global ao RSI, que deve ser feita pelo Tribunal de Contas, pela Inspecção Geral de Segurança Social e pela Inspecção Geral de Finanças, é essa auditoria que permite separar o trigo do joio, permite separar o que são necessidades de carência, onde o apoio é justo, do que é abuso e fraude», advogou, estimando que possam «ser poupados entre 80 a 120 milhões de euros».
mais»»
66% das pessoas que usufruíram do RSI em 2007 tinham outras fontes de rendimento. E em 2009? JPN

domingo, 18 de abril de 2010

Vulcão dá sinais de acalmia?


Ventos fortes permitiram, este sábado, aos vulcanólogos e geofísicos islandeses efectuar três voos de reconhecimento durante o dia para analisarem de perto o vulcão e medirem o nível da lama na caldeira, que tem 800 metros de largura.
As observações e medições efectuadas, juntamente com a análise dos registos sismográficos, indicam que a pressão na câmara de magma do vulcão está a baixar o que faz prever menor actividade vulcânica nos próximos dias.
As observações aéreas mostram também que só dez a 15 por cento do gelo do glaciar em torno do vulcão derreteu, um aspecto fulcral dado que o magma explode instantaneamente em contacto com a água sendo o resultado as enormes nuvens de cinza que continuam a afectar o espaço aéreo europeu e enquanto houver gelo a derreter para dentro da caldeira activa do vulcão vão continuar a produzir-se nuvens de cinza.

le monde moderne se retrouve paralysé


Les retombées mondiales des cendres d'un volcan islandais
Un volcan projette des cendres et c'est tout le monde moderne qui se retrouve paralysé. Dans une société fondée sur la liberté de voyager loin et vite, la liste des conséquences de l'arrêt du trafic aérien européen est longue.
Un «dispositif d'urgence»pour les Français bloqués à l'étranger
Des aéroports militaires pourraient être utilisés pour rapatrier des voyageurs victimes des perturbations du trafic aérien. Un recensement des Français bloqués à l'étranger a débuté.

Tous les aéroportsde France vont fermer
Après les aéroports d'une grande moitié nord de la France, déjà fermés jusqu'à lundi, ceux du sud doivent fermer à leur tour dimanche. Seule la Corse est épargnée. Le point sur les perturbations en Europe.

Des compagnies testent les vols dans le nuage de cendres
KLM et la Lufthansa ont fait voler des avions sans passager. Elles espèrent obtenir la permission de faire transiter des vols réguliers, malgré le nuage de cendres volcaniques qui recouvre l'Europe.


El futuro de Europa es una incógnita


Cuando la presión de los mercados era ya insostenible y el euro amenazaba con hundirse, Alemania ha aceptado salir al rescate de Grecia poniendo casi la tercera parte del crédito de 30.000 millones de euros acordado esta semana. Pero no por eso el europesimismo ha desaparecido de las páginas de los diarios de referencia.En primer lugar, varios análisis han subrayado el altísimo tipo de interés –de más del 5 %– al que se va a conceder dicho crédito: según el británico Financial Times, Alemania lo impuso como condición para que el Tribunal Constitucional no impidiera su participación en el mismo.Luego están las dudas sobre cuando se hará efectivo: «El escenario de pesadilla para muchos miembros del partido de Angela Merkel es que Grecia pida ese dinero antes de las elecciones del 9 de mayo en Renania del Norte-Westfalia, en el que se juegan su mayoría en la cámara alta, el Bundesrat», decía el Financial Times.
...
Más hondo es el comentario de Timothy Garton Ash en el The Guardian: «Esta canciller de centro carece de la audacia estratégica de un Adenauer o de un Kohl. Pero ni siquiera un líder más valiente podría hacer gran cosa cuando tiene a la opinión nacional en contra. Y desde los estridentes titulares del diario sensacionalista Bild a las decisiones a regañadientes del su Tribunal Constitucional, es indudable que los alemanes no están dispuestos a hacer más sacrificios por Europa. Si pudieran, seguramente preferirían que les devolvieran el marco. A falta de eso, un pequeño ‘nordo’ sólido y firme con los países del norte de Europa, y dejar a los irresponsables países del sur se arreglaran con un ‘sudo’. Es posible que esta primavera represente el principio del fin de la eurozona».En rotativo alemán el Suddeustche Zeitung –un diario de centro-izquierda, muy crítico con la política de Angela Merkel, Heribert Prantl ha escrito: «Helmuth Kohl era un europeo de corazón y si los problemas de Grecia hubieran aparecido en su época, habría sido más generoso que Angela Merkel. Pero su sentimentalismo europeísta permitió que países como Grecia entraran en la zona euro, aún cuando todo el mundo sabía que no podía satisfacer los criterios de estabilidad sin hacer trampas. Las dificultades actuales son el resultado de eso».Con todo hay alemanes que defienden los grandes principios europeístas. Uno de ellos, el sociólogo y filósofo Ulrich Beck, ha denunciado en el diario francés Le Monde que detrás de la política del deutscheuro no sólo hay una inquietante tendencia al unilateralismo económico, sino que, junto a una nueva orientación de la política exterior y a la intervención de tropas alemanas en el extranjero esa tendencia está conectando «con la ilusoria leyenda nacional que están forjando algunos intelectuales» y que, en el fondo, plantea «la hipótesis absolutamente irrealista de una posible vuelta a un idílico Estado-Nación alemán».
mais»»

Cavaco sai de Praga de automóvel


Cavaco Silva decidiu abandonar a República Checa de automóvel sob escolta, devendo chegar amanhã à noite a Barcelona onde, se o espaço aéreo permanecer aberto, embarcará num avião Falcon para Lisboa. Apenas dois ou três automóveis integram a comitiva presidencial terrestre, onde seguirão os dois membros do governo, chefe da Casa Civil, ajudante de campo, seguranças. O resto do contigente de Belém que acompanhou Cavaco Silva na visita de Estado à República Checa sairá de Praga rumo a Barcelona em três autopullmans fretados, onde seguirão também os empresários e os jornalistas.
Se o aeroporto de Barcelona estiver aberto, um C-130 transportará para Lisboa esta tripulação. A noção de que o espaço aéreo europeu continuará impossível de atravessar nos próximos dias levou os responsáveis da Presidência a decidir chegar a Barcelona por terra. Caso seja impossível levantar voo em Barcelona, encerrado até ás 19.00, Presidente, membros do governo, empresários e jornalistas chegarão a Lisboa por terra.
Esta noite, o Presidente da República pernoita em Estrasburgo.
Cavaco Silva será escoltado pela segurança checa até à fronteira, seguindo-se batedores alemães, franceses e espanhóis.

novo aeroporto e privatização da ANA. JAMÉ ?


Afinal o governo está nesta altura a analisar as alternativas possíveis para a construção do novo aeroporto de Lisboa, admitindo separar o lançamento de um concurso público, do projeto de privatização da ANA, mas garantindo que o processo arranca em 2010.
O anterior (mesmo) Governo associou a privatização da ANA à construção do novo aeroporto, o que determinaria a escolha do parceiro privado da atividade aeroportuária portuguesa, mas para que esta operação avance é necessário definir o perímetro de privatização e a percentagem de capital da gestora dos aeroportos nacionais que será entregue a privados, que poderá ser minoritária ou maioritária.

apoio de Figo custou-nos dois milhões


Os números constam da acusação do Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa, aberta na sequência de uma certidão extraída do processo Face Oculta, onde foram escutados alguns dos intervenientes no caso e que relaciona essas contrapartidas com o apoio eleitoral ao PS.
O apoio foi demonstrado numa entrevista ao Diário Económico, publicada em Agosto passado, e num pequeno-almoço com o também líder do PS no último dia da campanha eleitoral, em Setembro.
A contrapartida que mais se tem falado é um contrato de cedência da imagem do ex-futebolista à Taguspark, por um período de três anos, a troco de 350 mil euros no primeiro ano e de duas parcelas de 200 mil euros a ser pagos nos dois anos seguintes, num total de 750 mil euros.
Mas essa não foi a contrapartida mais valiosa. Em Julho de 2009, o Taguspark assinou um contrato proporcionando a uma das empresas de que Figo é sócio, a Dream Factory Network, instalação gratuita no parque por três anos, além de serviços de secretaria telefónica gratuitos.
Rui Pedro Soares, administrador do parque tecnológico e da operadora de telecomunicações, já tinha conseguido alojamento do site do projecto de comunicações, tudo oferecido pela PT durante três anos, um serviço cujo custo estimado por um funcionário da PT, Orlindo Soares, era de 1,3 milhões de euros.
O somatório dos dois contratos totaliza 2.050.000 euros, não tendo o Ministério Público contabilizado o valor da instalação e secretaria telefónica disponibilizada gratuitamente pelo Taguspark.
mais»»

sábado, 17 de abril de 2010

Presidente checo provocou Cavaco

Václav Klaus, em dois dias consecutivos, criticou o desequilíbrio das contas públicas portuguesas e chegou mesmo a questionar a falta de "nervosismo" de Portugal perante "um défice de oito por cento".
Num encontro com os jornalistas, num hotel no centro de Praga, ontem à tarde, o Presidente português ainda tentou fugir às perguntas sobre o assunto - experimentou falar sobre o índice de destruição da capital checa durante a II Guerra Mundial, por exemplo -, mas, perante a insistência dos media, acabou por replicar as afirmações que Klaus tinha feito na manhã de ontem. Diante de mais de uma centena de empresários checos e portugueses, reunidos num fórum económico organizado para promover parcerias comerciais, o Presidente checo declarou-se "surpreendido por Portugal não estar nervoso por ter um défice de oito por cento". O tom era irónico. E manteve-se: "É uma história interessante. Espero que não estejam aqui jornalistas. Não digam a ninguém que têm um défice maior do que o nosso [a previsão para este ano é de 5,3 por cento]."
O Presidente quebrou assim um silêncio de dois dias sobre o défice público português, tema das "provocações" de Klaus. Mas logo a seguir tentou mitigar o contra-ataque, notando que não se deve "extrapolar as posições económicas e financeiras" do Presidente checo "para as relações entre Portugal e a República Checa". "Não vão por esse caminho", disse aos jornalistas, "porque não é esse o sentimento". Já antes, Cavaco tinha ensaiado uma fuga ao confronto com Václav Klaus, dizendo que este"não se referia apenas a Portugal" quando abordou o tema do défice público. "A sua observação foi geral. Há muitos países da União Europeia com défices superiores ao de Portugal", disse, sublinhando que a aprovação do PEC serviu para "separar claramente Portugal da Grécia". Não foram apenas as acutilantes declarações de Klaus sobre o défice nacional que dominaram esta visita de Estado à República Checa. Também o seu conhecido eurocepticismo marcou a estadia de Cavaco em Praga, com Klaus a reiterar as suas críticas ao Tratado de Lisboa e ao consequente aumento do "défice democrático".
PUBLICO.PT

"Cabo Verde não deveria ter sido independente"


Mário Soares defendeu hoje que Cabo Verde "não deveria ter sido independente" e que o arquipélago "teria muito a ganhar" em ter evitado a separação em relação a Portugal.
"Eu sempre achei que Cabo Verde não deveria ter sido independente, não assisti à independência de Cabo Verde por isso mesmo. Pensava que Cabo Verde não é propriamente África porque Cabo Verde é um arquipélago do norte do Atlântico e que há uma relação que deveria ter sido mais explorada entre os três arquipélagos existentes que são Europa, ou seja, Açores, Madeira, depois Canárias e podia ser Cabo Verde".
Soares admitiu que "era muito difícil" que o caminho seguido não tivesse sido a independência e explicou que não explicitou "no momento exacto" o seu pensamento sobre o assunto porque interrompeu a sua participação directa no processo que conduziu à independência - "nessa altura em já estava fora do combate".
DN

que mais revelações nos irá trazer este executor da politica de descolonização, pós 25-4, antes de comparecer perante o GADU ?
E por que razão é que os cabo-verdianos não teriam os mesmos direitos que os tugas reivindicam há 900 anos?

sexta-feira, 16 de abril de 2010

The Next Global Problem: Portugal

The bailout of Greece, while still not fully consummated, has brought an eerie calm in European financial markets.
...
Next on the radar will be Portugal. This nation has largely missed the spotlight, if only because Greece spiraled downward. But both are economically on the verge of bankruptcy, and they each look far riskier than Argentina did back in 2001 when it succumbed to default.
...
The main problem that Portugal faces, like Greece, Ireland and Spain, is that it is stuck with a highly overvalued exchange rate when it is in need of far-reaching fiscal adjustment.
For example, just to keep its debt stock constant and pay annual interest on debt at an optimistic 5 percent interest rate, the country would need to run a primary surplus of 5.4 percent of G.D.P. by 2012. With a planned primary deficit of 5.2 percent of G.D.P. this year (i.e., a budget surplus, excluding interest payments), it needs roughly 10 percent of G.D.P. in fiscal tightening.
...
So what next for Portugal?
Pity the serious Portuguese politician who argues that fiscal probity calls for early belt-tightening. The European Union, the European Central Bank and the Greeks have all proven that the euro zone nations have no threshold for pain, and European Union money will be there for anyone who wants it. The Portuguese politicians can do nothing but wait for the situation to get worse, and then demand their bailout package, too. No doubt Greece will be back next year for more. And the nations that “foolishly” already started their austerity, such as Ireland and Italy, must surely be wondering whether they too should take the less austere path
.
ler o artigo completo aqui


Portugal é o próximo alvo dos mercados financeiros estando, como a Grécia, à beira da bancarrota; ambos parecem muito mais perigosos do que a Argentina em 2001 - é a opinião do antigo economista chefe do FMI, Simon Johnson.
A conclusão é apresentada pelo antigo economista chefe do Fundo Monetário Internacional (FMI), Simon Johnson, numa análise realizada para o jornal norte-americano
'New York Times', intitulada "O próximo problema global: Portugal".
"O próximo no radar será Portugal. Este país escapou em grande medida às atenções, muito porque a espiral da Grécia desvaneceu. Mas ambos estão economicamente à beira da bancarrota, e ambos parecem muito mais perigosos do que Argentina parecia em 2001, quando entrou em incumprimento", diz a análise do economista, que é Professor no Massachussetts Institute of Technology.
Simon Johnson equiparou ainda o financiamento de Portugal a um esquema em pirâmide (como o utilizado pelo gestor norte-americano Bernard Maddof que lhe valeu a prisão perpétua).
O economista diz que Portugal, tal como a Grécia, em vez de abater os juros da sua dívida, tem refinanciado os pagamentos de juros todos os anos através de emissão de nova dívida, chegando mesmo ao ponto de dizer que "vai chegar a altura em que os mercados financeiros se vão recusar pura e simplesmente a financiar este esquema ponzi".
Quanto à correcção dos desequilíbrios, o economista critica fortemente a falta de medidas mais duras.
"Os portugueses nem sequer estão a discutir cortes sérios. (…) Estão à espera e com a esperança de que possam crescer suficientemente para sair desta confusão, mas esse crescimento só pode chegar através de um espantoso crescimento económico a nível global", disse.
Simon Johnson considera ainda que "nem os líderes políticos gregos, nem os portugueses, estão preparados para realizar os cortes necessários", que o Governo português "pode apenas aguardar por vários anos de alto desemprego e políticas duras", e ainda que os políticos portugueses podem apenas "esperar que a situação piore, e então exigir também bailout (plano de apoio)".
ionline

O ministro das Finanças, Teixeira dos Santos já respondeu ao antigo economista chefe do FMI, dizendo que as suas declarações são um disparate.
Serão! Mas são estes disparates que decidem os ratings que nos são aplicados...

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Tromba de água no Tejo


Ao largo de Santa Apolónia, sobre o rio Tejo, registou-se hoje uma tromba de água, num dia em que treze distritos de Portugal Continental e o arquipélago da Madeira foram colocados em aviso amarelo devido à previsão de chuva, trovoada e vento.
O Instituto de Meteorologia explicou hoje que uma "depressão entre o arquipélago da Madeira e o território do Continente" está a provocar grande instabilidade, prevendo-se que a situação se mantenha até ao fim de semana. Segundo a meteorologista Cristina Simões esta é "uma situação a manter nos próximos dias", sendo previsível que se estenda "até ao fim de semana".
Sobre a tromba de água que se registou esta tarde no rio Tejo, a meteorologista não afastou a possibilidade de o episódio se repetir, por serem "situações de muito difícil previsão". "De acordo com os registos que tivemos, [a tromba de água] formou-se e dissipou-se no rio Tejo, foi um acontecimento muito rápido" e explicou que este fenómeno "é igual" a um tornado, tendo uma designação diferente por ter ocorrido no mar.
No Bairro Belo Horizonte, nas Olaias, em Lisboa, cinco prédios ficaram hoje parcialmente sem telhas devido a ventos muito fortes, informaram os bombeiros.

A face oculta dos submarinos

JAS in Política a Sério
Investigação a toda a equipa de Portas
Provas dos pagamentos desaparecem
Prateleiras vazias no Forte
Luvas pagaram contrato à medida
carlos abreu amorim (PND) em Opinião no Jornal de Notícias

Paulo Portas culpa Constituição pelo «atraso» do país

Portas culpa Constituição pelo «atraso» do país
PSD não alinhou nas críticas de Portas
PSD defende revisão da Constituição
PCP teme que Cavaco e Sócrates desvirtuam a Lei Fundamental

terça-feira, 13 de abril de 2010

Ex-primeiro-ministro acusado de “extrema negligência”

O relatório da comissão de inquérito do parlamento irlandês acusou o ex-primeiro-ministro islandês Geir Haarde e o ex-governador do Banco Central da Islândia David Oddsson de “extrema negligência“ por decisões que levaram ao colapso financeiro do país, em Outubro de 2008.

A Islândia foi o primeiro país a declarar que não poderia pagar a sua dívida externa, na sequência da crise que se iniciou nos Estados Unidos com a atribuição de créditos de alto risco ao imobiliário.
PUBLICO.PT

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Henrique Nascimento Rodrigues (1941 2010)


Morreu esta madrugada, no Hospital de Santa Marta, em Lisboa, Henrique Nascimento Rodrigues, fundador do PSD, ministro do Trabalho do Governo Balsemão e antigo Provedor de Justiça.
Licenciado em Direito, especializou-se em questões laborais e sociais, tendo sido o 'pai' do sindicalismo social-democrata, consultor da Organização Internacional de Trabalho (OIT) e primeiro presidente do Conselho Económico e Social. Fez ainda parte do Gabinete de Estudos do PSD.
Com Mota Pinto e Nuno Rodrigues dos Santos, liderou o PSD depois da saída de Francisco Pinto Balsemão.

Ainda na última sexta feira, no blog que criou para fazer comentário político e dar espaço para o relato das suas memórias africanas, publicou um último post.
http://ouvidorkimbo.blogspot.com/: "Os primeiros passos de Passos Coelho são positivos. Mas a procissão nem sequer entrou ainda no adro". Expresso


os louvores que tenho ouvido daqueles que estiveram mais de um ano para substituir este Homem, usando-o como "arma" partidária causam-me nojo...

,

domingo, 11 de abril de 2010

Spinola


A Câmara Municipal de Lisboa homenageou hoje o marechal António de Spínola numa cerimónia em que foi descerrada a placa toponímica de uma nova avenida na cidade que terá o nome do primeiro Presidente da República depois do 25 de Abril.
Na homenagem, realizada no dia em que se assinala o centenário do nascimento do marechal António de Spínola, deverão participar o actual Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, e outros antigos chefes de Estado. A Avenida Marechal António de Spínola situa-se no prolongamento da Avenida dos Estados Unidos da América até à rotunda Infante D. Henrique.
António Sebastião Ribeiro de Spínola nasceu a 11 de Abril de 1910, em Estremoz, no Alto Alentejo, e faleceu em Lisboa a 13 de Agosto de 1996.

A 25 de Abril de 1974, como representante do Movimento das Forças Armadas, aceita do presidente do Conselho, Marcelo Caetano, a rendição do Governo, o que na prática significa uma transmissão de poderes.Com a instituição da Junta de Salvação Nacional, órgão que passou a deter as atribuições dos órgãos fundamentais do Estado, a que presidia, é escolhido pelos seus membros para o exercício das funções de Presidente da República.
PUBLICO

sábado, 10 de abril de 2010

Congressos, Papa, Presidenciais: nacionalismos "ocos"


Desde que, durante este governo, as televisões se adaptaram mais à agenda do Primeiro-ministro, as técnicas de adormecimento mediático em Portugal se tornaram mais subtis e eficazes. O objectivo passa, tal como em Itália, por atingir um ponto de saturação tal junto dos espectadores, que estes explodem sempre da mesma maneira: "nestas eleições não vou votar"...!!!

1 medida anunciada pelo Governo = 3 dias de notícias.

Assim que se aproxima o 33º Congresso do PSD, todas as televisões correm a entrevistar o presidente do partido, que, a passos de coelho, lá vai soltando umas palavras comedidas de oposição às políticas do actual governo. Um congresso de 3 dias, um pouco para reforçar o n.º do congresso: o 33.º . Um desfile de "3"'s, talvez em honra do Papa que está para vir, já que 33 é o número de Cristo. Não importa que a localidade onde se realiza tenha um gigantesco esgoto a céu aberto na maior praia da freguesia - Carcavelos - há mais de 20 anos, e que esta freguesia e que o concelho de Cascais sejam do mesmo partido do congressista. Isso são pormenores de "fregueses"...

1 congresso partidário = 1 semana de notícias.

Claro que alguns congressos, triunfam de vontade mais do que outros, mas na verdade, PS e PSD habituaram-nos nos últimos 15 anos a congressos e "estados da nação" de dimensão nacional. Discursos inflamados, gentes congregadas com um objectivo comum, em suma, um quadro bonito de se ver. Depois as declarações formais às televisões e aos jornais, o desfile de viaturas diplomáticas no exterior, os flashes dos jornalistas. Finalmente chega o dia das eleições, são eleitos e... nada. Tudo fica rigorosamente na mesma. Portugal em queda, os ricos mais ricos, os pobres mais pobres, os fundos europeus cada vez mais magros. Sem fundos, as empresas fecham, pois o perfil da empresa portuguesa não é a de criar riqueza, mas a de distribuir e "derreter" fundos estruturais... Ficou-nos este estigma do monarca que lança moedas de ouro ao povo miserável que, assim, vive o duro contraste entre o poder e o não-poder.Talvez por isto, todos os congressos sejam tão parecidos e todos os discursos que neles se fazem contêm as mesmas palavras repetidas vezes sem conta, como martelinhos a baterem sem parar nos nossos cérebros. Técnica muito conhecida da CIA, esta da lavagem cerebral pelo ritmo da repetição ad aeternum... Congresso por congresso, lembro-me deste, que marcou para sempre a história do nacionalismo (socialista) na Europa e no Mundo:

http://www.youtube.com/watch?v=afXnFiNF2iQ&feature=related
Depois vem o Papa alemão, pisar o mesmo solo. E o povo volta a adormecer...

1 Papa em solo Nacional = 1 mês de notícias.

E finalmente as Presidenciais, marcadas estrategicamente para o final do ano.1 eleições presidenciais = 1 ano de notícias.Entre estas notícias e os teatrinhos de problemas comezinhos das novelas portuguesas, o povo tem a liberdade de escolher. Talvez por isto, deixou de poder optar sobre o seu futuro, resignando-se às escolhas que os políticos fazem "por ele", e sempre "contra ele". Decorridos 100 anos de República, os 36 anos em que vivemos a "liberdade" acabaram-se. Eis que mergulhamos novamente na escuridão, na miséria, na pobreza de espírito, na corrupção, na sociedade separada entre ricos-políticos-todo-poderosos e povo-pobre-miserável.Obrigado, Afonso, por te teres zangado com a tua mãe. Ao menos deixas-te-nos acreditar que o sonho português de liberdade seria um dia possível...posto por Pedro Duarte no Força Emergente

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Dia do Combatente e da maior derrota pós-Alcacer Quibir


Em Portugal é todo o mundo rural que está em guerra.

Na maioria dos casos, o soldado sai, pela primeira vez, da sua terra natal. Aprende a comer de garfo e faca na tropa.

As tropas portuguesas levam três meses de barco e mais três dias de comboio de Brest até à frente na Flandres.

Os participantes na Guerra de 1914-1918 eram o Império Alemão, o Império Áustro-Hungaro, a Turquia e a Bulgária que lutaram contra o Império Britânico, a Rússia, a França, a Itália, os Estados Unidos, Portugal, Bélgica, Holanda, Grécia e Roménia.

Portugal dispõe de duas divisões com tropas de artilharia, infantaria e cavalaria. A segunda divisão do Corpo Expedicionário Português espera ser rendida no dia 9 de Abril. No comando da primeira divisão, está o General Tamagnini, conhecido pelo seu carácter disciplinador e astuto. A primeira divisão (30 mil soldados) ocupa o sector da frente com 11 km. (Em comparação, 80 mil americanos ocupam 14 km de frente).

6 de Abril de 1918. A primeira divisão retira da frente. Fica a quinta divisão (conhecida por segunda divisão reforçada). No comando da quinta divisão, o Brigadeiro Gomes da Costa
substitui o General Simas Machado.
Há nove meses que as tropas estão na frente de combate. Era caso único entre os aliados.
O soldado da trincheira vê pouco: gases químicos lançados pelos alemães e nevoeiro.
O soldado da trincheira ouve muito: o som da metralha, dos morteiros, da artilharia alemã. O revestimento da trincheira é de madeira ou de ferro. A lama da frente agarra-se ao corpo e torna o avanço muito difícil.
O soldado abriga-se em buracos reduzidos, revestidos de chapa com escoras de madeira e sacos cheios de terra. Há numerosos ratos. Dentro do abrigo, o mobiliário é de pinho, um ou dois leitos, instrumentos mínimos de higiene.

8 de Abril de 1918. A situação é de alerta máximo. Aguarda-se a todo o momento um ataque do inimigo alemão. Tinha havido uma carga alemã até perto de Amiens (Operação Michael). Os aliados situam-se perto das ribeiras de La Lol e La Lys na Flandres.
Os alemães alteram o seu dispositivo militar. Colocam quatro divisões com quase 50 mil homens, reforçadas no dia 9 de Abril com mais 30 mil soldados. Os portugueses são só 20 mil.

9 de Abril de 1918. 4h15. Começa o bombardeamento alemão: artilharia contra artilharia. Salvas de artilharia de dez em dez minutos. Depois salvas permanentes a partir das 5h15. Das 5 às 8 horas o fogo é contínuo. Segue-se o assalto das tropas alemãs a partir das 8h15. O marechal Douglas Henke, comandante-chefe dos exércitos britânicos considera os soldados portugueses "bravos e úteis". Mas as tropas portuguesas sofrem pesadas baixas. Os alemães não tinham a certeza do sucesso militar. Escolhem o sector português, porque, com a derrota dos portugueses, os ingleses retiravam para os flancos. Logo, os alemães avançariam na frente. O objectivo dos alemães é empurrar os ingleses até ao Canal da Mancha. Do lado alemão, comandam o General Ludendorf e o Marechal Hindenburg.

9 de Abril. Final da noite. Os alemães capturam seis mil portugueses da segunda divisão e quase 100 peças de artilharia. A Brigada do Minho é dizimada. Mas conseguiu resistir juntamente com as restantes tropas portuguesas durante 24 horas. As tropas alemãs avançam. Mas não cumprem totalmente o objectivo: avançar para além das ribeiras de La Lol e La Lys. A trincheira transforma a guerra num impasse de posições. Os Alemães vencem em La Lys.

9 a 27 de Abril. Segunda ofensiva, mas com perdas crescentes para o lado alemão que ainda tentam o assalto a Paris (operação Valquíria).
Detidos pelo General Pétain, são mais tarde vencidos pelo contra-ataque aliado. in História da Batalha de La Lys

O dia 9 de Abril comemora simultaneamente o dia do Combatente Português e a Batalha de La Lys, o maior desastre das Forças Armadas Portuguesas pós Alcacer Quibir.

quinta-feira, 8 de abril de 2010

A confissão da derrota

O ministro da Economia admitiu finalmente em público o que já tinha afirmado em privado na reunião do Governo do senhor engenheiro relativo que aprovou o famigerado PEC. Vieira da Silva confessa que o PEC faz mal à economia. Pois faz.
Basta ler o documento para se perceber que o País e os seus súbditos vão ficar mais pobres, irreversivelmente mais pobres. Não há saída. Desolado, de braços caídos, com um discurso típico dos derrotados, reconhece que não há alternativas para pôr na ordem as contas públicas. Pois não. É um problema da esquerda e das suas desastrosas receitas. Mais investimento público e mais impostos para alimentar um Estado social sem solução, em agonia, um monstro insaciável que vai atirar o País para níveis impensáveis de pobreza. António Ribeiro Ferreira, Jornalista em
Opinião no Correio da Manhã

quarta-feira, 7 de abril de 2010

e todos ficaram mal na fotografia...


Mil enseñas rojigualdas ondean en las balconadas de Valença do Miño, que acaba de perder el turno nocturno de urgencias. El gobierno de José Sócrates cerró este servicio el 28 de marzo, como medida de ahorro, aunque por el momento lo único que consiguió fue irritar a los vecinos de este municipio luso. Sus habitantes cruzan ahora la frontera para ser atendidos en el centro de salud de Tui, localidad gallega cercana. En Portugal, solamente tendrían dos opciones, acudir a Monçao, a 20 kilómetros, o a Viana do Castelo, a 51. El alcalde tudense, Antonio Fernández Rocha, reconoce que el PAC (Punto de Atención Continuada) de este ayuntamiento fronterizo va a atender a los pacientes portugueses damnificados por esta carencia, pero aclara que por el bienestar y comodidad de estos ciudadanos vecinos, esta no puede ser una solución permanente.
El portavoz de los afectados, Carlos Natal, contó a ABC que había iniciado gestiones para lograr que se construya un hospital de campaña en la perjudicada ciudad, desprovista de una atención que sus moradores entienden "necesaria y fundamental".
Por ahora, continúan las protestas ciudadanas. Cientos de banderas en la calle, en unas concentraciones reivindicativas. "Viva la España, que atiende a nuestros enfermos", es el lema que reza en la cabecera. "Sí, tenemos que llevar a nuestra gente que está mal, y desplazarnos; pero los españoles entienden que esto es básico y se lo agradezco, espero que pase lo mismo aquí", cuenta a este periódico una señora que tiene a su madre enferma. Los partidos de la oposición llevarán a la Asamblea de la República (Parlamento) una iniciativa que pida la continuación de la asistencia que hubo siempre. Los usuarios, mientras, continuarán con sus manifestaciones, aunque sin cortes como el producido el lunes pasado, cuando pararon el puente internacional que une Galicia y Portugal.
ABC.es

Criticar a Igreja, desculpar o Islão


Eis a receita do politicamente correcto:
criticar a Igreja e, ao mesmo tempo, desculpar o Islão. É uma receita que garante palmas e prémios.
I. O ruído em redor da pedofilia na Igreja continua. A Igreja é, de facto, um alvo fácil para uma sociedade, a europeia, onde o ateísmo mais acéfalo é o apogeu da coolness. Bater na Igreja fica sempre bem: é a regra número um das Paulas Bobones do politicamente correcto. Sei do que falo. Já segui à risca essa regra.
II. Mas, na maioria dos casos, este ateísmo cool não passa de uma simples gripe anti-católica. Os ateus de serviço criticam sempre os católicos, mas nunca criticam o Islão radical, nunca criticam as comunidades muçulmanas que vivem na Europa. Por essa Europa fora, os pais e irmãos muçulmanos matam as filhas e as irmãs, porque estas, coitadas, cometem o pecado que é namorar com um "europeu". E o barulho mediático que se faz em redor destes crimes de honra é quase nulo. Os mesmos que ganham a vida a criticar o Papa nada dizem sobre
notícias deste tipo.
III. Sim, a Igreja deve ser criticada. Sim, alguns membros da Igreja devem ser julgados (aqui na cidade dos homens, onde há crime e não apenas pecado). Mas a Igreja não pode pagar pelos pecados do Islão radical. Esta dualidade de critérios da "agenda" mediática (criticar sem piedade a Igreja; silêncio acrítico sobre o Islão) é uma doença séria, que deve ser atacada.
Neste sentido, recomenda-se a leitura de "Identidade e Violência", do grande Amartya Sen. por Henrique Raposo no Expresso

Onde está a PSP e a GNR? O que faz o governo?


Os órgãos de comunicação social, declaram continuar hasteada a bandeira espanhola na fortaleza de Valença. Monumento nacional, símbolo local da soberania portuguesa, foi profanado por gente que perdeu toda a legitimidade ao optar por este insultuoso tipo de contestação. Trata-se de subversão e de atentado à integridade do Estado. Do que está à espera a GNR? Que explicação dá a PSP? Porque não envia o exército um pelotão que ponha cobro ao dislate? O episódio da taurina coisa nas varandas, não passa de folclore a resolver no próximo embate futebolístico entre as duas "selecções", quando tudo voltará ao normal. Outra coisa, é o assalto estrangeiro a um edifício público. S. Bento não cora de vergonha?

O que se estranha, é a total passividade das autoridades nacionais que se têm abstido de impor a Lei e a dignidade do Estado. São precisamente estas autoridades - e aqui incluímos o governo que tutela as policias e as Forças Armadas - que são muito lestas na resolução de outros casos que têm acontecido e que vão continuar a acontecer, queiram ou não queiram, gostem ou não gostem. O critério parece simples: se se trata de uma Bandeira Nacional azul e branca, deve ser de imediato apeada e entregue a um nebuloso "Ministério Público" - o que é isso? -, mas se o caso disser respeito a uma bandeira estrangeira, poderá então ficar ao vento durante o tempo que a subversão militante assim o entender.
...
recordem-se os episódio das bandeiras da monarquia hasteadas no Parque Eduardo VII ou na Camara Municipal de Lisboa. Em qualquer dos casos alguém devia impôr a lei... se é que ainda existe.

com o tempo se irá sabendo...


O ex-presidente da Media Capital afirmou que a TVI funcionou como plataforma para derrubar o Governo liderado por Pedro Santana Lopes apesar de ter chamado a atenção da direcção de José Eduardo Moniz.

"Houve efectivamente um período em que a TVI tomou um conjunto de posições que se desviaram da linha de isenção e de credibilidade que eram apanágio da estação", referiu Miguel Pais do Amaral à margem da audição na comissão parlamentar de Ética, Sociedade e Cultura.
Segundo referiu aos jornalistas, isso aconteceu "durante o Governo de Santana Lopes", tendo "a TVI funcionado como plataforma para derrube desse Governo".
Pais do Amaral adiantou que, nessa altura, teve "várias vezes de chamar a atenção do director-geral e director de informação dizendo-lhe que uma televisão não existe para derrubar governos, existe para informar o público".
Questionado sobre se a campanha para derrubar o Governo de Santana Lopes estaria a ser liderada por José Eduardo Moniz, Pais do Amaral respondeu "não ter dúvidas" sobre isso
. Sol

terça-feira, 6 de abril de 2010

corta prémio anual mas paga mais no fim...


Os prémios anuais da Comissão Executiva da EDP vão baixar de 100 para 80 por cento da remuneração fixa no mandato que termina em 2011.
Mas em nada os rendimentos da administração sairão penalizados. A ideia é cortar de um lado para acrescentar em outro já que o prémio plurianual sobe de 100 para 120 por cento da remuneração fixa, uma parcela que fica congelada nos 600 mil euros brutos/ano.

com papas e bolos se enganam os... "tugas"

segunda-feira, 5 de abril de 2010

do imobiliário partidário..


O PCP é o partido político com mais património imobiliário, um total de 276 imóveis espalhados pelo país, mas não revelou o seu valor na documentação remetida à ECFP
o PS declarou 72 imóveis, avaliados em 5.600.000 euros,
o PSD 70, 3.700.000 euros,
o CDS 13, 302.700 euros e
o Bloco de Esquerda 1, 49.000 euros.

Interessante...

no minimo um "profissional" mediocre...

Duas repreensões por unanimidade, ameaças de sanções legais e severas críticas dos serviços camarários foram o resultado dos últimos anos da actividade de José Sócrates como projectista de edifícios na Guarda, entre 1987 e 1991.
José Sócrates foi afastado pela Câmara da Guarda, em 1990 e 1991, da direcção técnica de obras particulares de cujos projectos era autor, depois de ter sido várias vezes advertido por causa da falta de qualidade dos seus projectos e da falta de acompanhamento das obras - chegando a ser ameaçado com sanções disciplinares. Num dos casos, a saída de cena do então engenheiro técnico, que era deputado em regime de dedicação exclusiva há mais de dois anos, foi imposta pela autarquia socialista como condição para o desembargo da obra que projectara e dirigia.
No conjunto de 26 processos de licenciamento encontrados pelo PÚBLICO, no Arquivo Municipal da Guarda, em que Sócrates esteve envolvido como projectista e responsável de obra entre 1987 e o final de 1990, em acumulação com a actividade de deputado num período em que era presidente da Federação do PS de Castelo Branco, avultam três em que o seu nome foi substituído na direcção dos trabalhos sem que ele ou o dono da obra o tenham requerido.
Em dois destes casos o actual primeiro-ministro foi substituído por outros técnicos depois de ter sido repreendido por escrito pelo então presidente da câmara, Abílio Curto - que mais tarde veio a cumprir uma pena de prisão pelo crime de corrupção. As repreensões em causa foram enviadas pelo correio a José Sócrates, na sequência das deliberações camarárias, aprovadas por unanimidade, que o admoestaram pelo "pouco cuidado posto na elaboração do projecto" (1987) e pela "falta de fiscalização das obras de que é autor dos projectos devendo fiscalizá-las rigorosamente" (1990).
No primeiro deixou a obra no final de 1988 sem que se perceba porquê, não havendo no processo nenhum elemento que permita esclarecê-lo nem saber de quem partiu a iniciativa. Já no segundo, o seu afastamento resultou de uma imposição camarária cujo fundamento e objectivo também não consta do processo.
Anteriormente às advertências aprovadas pelo executivo já alguns técnicos camarários tinham subscrito diversas críticas à falta de cumprimento dos regulamentos em vigor por parte daquele projectista, nestes e noutros processos, redigidas em termos mais severos do que as deliberações do executivo.
Na terceira obra de cuja direcção Sócrates foi excluído, já em 1991, ano em que se tornou porta-voz do PS para a área do Ambiente e membro do secretariado nacional do partido, o seu afastamento foi também determinado por despacho camarário, mais uma vez sem que se perceba a razão e sem que no processo da obra existam quaisquer reparos ao seu trabalho.
Quanto à informação que deu origem à primeira das repreensões aprovadas pela câmara, o então chefe da repartição técnica da autarquia, já falecido, escreveu textualmente: "O senhor eng. técnico José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa foi já advertido pelo pouco cuidado que manifesta na apresentação dos trabalhos apresentados nesta câmara municipal e continua a proceder de igual forma, sem o mínimo respeito por ela e pelos seus técnicos (...) Deverão solicitar-se mais uma vez os elementos nas devidas condições e adverti-lo que não se aceitarão mais casos idênticos, sob pena de procedimento legal." A informação conclui, observando que se Sócrates "não pode ou não tem tempo de se deslocar à Guarda para fazer os trabalhos como deve ser só tem um caminho que é não os apresentar."
Em causa estava um projecto de 1987 em que nalgumas peças se falava na construção de uma moradia a construir na Quinta dos Bentos, na Guarda, e noutras se falava em duas moradias geminadas. Por outro lado, as plantas apresentadas e assinadas pelo projectista não indicavam sequer o local da obra a construir.
No segundo processo em que foi advertido pela vereação tratava-se de uma moradia a erguer em Sequeira, junto à Guarda, em que a repartição técnica da câmara emitiu informações desfavoráveis ao projecto e às suas posteriores alterações, qualificando algumas delas como "um absurdo". Face à insistência do proprietário e do projectista, a mesma repartição propôs, em Março de 1990, e Abílio Curto concordou, que "deve alertar-se o requerente de que se porventura estiver em obra a executar estas alterações se sujeita a um processo de coimas e o técnico a ser chamado à responsabilidade".
Apesar desta ameaça, as alterações indeferidas foram construídas sem que o responsável pela obra se opusesse, o que levou uma das arquitectas da repartição, também já falecida, a propor a demolição da ampliação ilegal da moradia e a escrever que "o técnico deve ser chamado à responsabilidade (o que não será a primeira vez, aliás) e deve ser seriamente alertado, pois, como deputado na Assembleia da República e residente na Covilhã, não vejo como poderá visitar as obras que dirige - o que, à luz do novo decreto 19/90, lhe poderá vir a acarretar uma pena de suspensão por falta de assistência às obras e de assinatura da folha de obra".
Paralelamente a construção foi embargada, a parte ilegal foi demolida pelo proprietário, e a câmara, em ofício assinado por Abílio Curto em Dezembro de 1990, notificou o proprietário, sem qualquer justificação, "para apresentar novo termo de responsabilidade após o que se procederá ao desembargo da obra" - tal como aconteceu de imediato.Num terceiro processo, relativo à construção de uma moradia na aldeia de Cavadoude, cujo projecto e direcção de obra têm o nome José Sócrates, não se encontra qualquer crítica ao seu trabalho, mas um despacho de um responsável camarário datado de Janeiro de 1991 determina, também sem qualquer fundamentação, que "é necessário notificar o requerente de que é preciso a declaração de responsabilidade de outro técnico".




mais aqui: